domingo, 14 de agosto de 2011

Como por o sapato do outro?


Como diretor de uma imobiliária, trabalho diariamente com corretores profissionais, porém humanos e, como tais, com suas próprias frustrações pessoais, seus problemas familiares, suas crenças, questões amorosas bem e mal resolvidas, seus medos, inseguranças, etc.


Conflitos e discussões entre as pessoas são inevitáveis porém, podem ser amenizadas.


De forma geral e para não me ver pego em particularidades comprometedoras, apresento este "post" de forma abrangente, captando interessados em todo e qualquer mercado, não só o imobiliário.


Trabalhamos diariamente com pessoas. Convivemos com pessoas. Estamos em um mundo repleto de pessoas e inevitavelmente somos obrigados, queiremos ou não, a interagir com pessoas. Interagir entre nós.


Em qualquer situação de relacionamento, proponho sempre "colocar-me nos sapatos do outro". Isto me auxilia a buscar uma outra posicão que me permita observar uma perspectiva diferente da minha: a dele(a)!


Tal técnica de concicilação de pensamentos e posições em relacionamentos humanos, dá-se o nome de:

POSIÇÕES PERCEPTUAIS

O ponto de vista que uma pessoa assume no exame de uma situação particular pode mudar completamente seu significado e impacto. Isto também irá determinar a profundidade em que ela é capaz de acessar um estado em particular.

Na PNL Programação Neurolinguistica, existem quatro posições básicas de percepção de onde tarefas e relacionamentos podem ser avaliados:

a. “Primeira Posição”

- Associado no seu próprio ponto de vista, crenças e suposições, vendo o mundo externo através dos próprios olhos - posição “Eu”.

b. “Segunda Posição”

- Associado no ponto de vista, crenças e suposições do outro, vendo o mundo externo através dos olhos dele - posição “Você”.

c. “Terceira Posição”

- Associado em um ponto de vista fora do relacionamento entre você e o outro; o ponto de vista de um observador não envolvido, fora da situação - posição “Eles”.

d. “Quarta Posição”

- Associado na perspectiva do sistema como um todo; como o sistema vê a situação e a interação da perspectiva de todos – posição “Nós”


Você sabe a resposta que Sócrates deu a um de seus discípulos, quando este veio contar-lhe uma situação que ouvira de outro?

- Pare! Pergunto-lhe antes de mais nada, se o que vai dizer-me passastes pelas 3 PENEIRAS?

1ª PENEIRA = VERDADE
- O que vai dizer-me é VERDADE?
O que você quer contar dos outros é um fato? Caso tenha ouvido contar, a coisa deve morrer aí mesmo. Suponhamos então que seja verdade.


2ª PENEIRA = BONDADE
- O que vai dizer-me é BOM?
O que você vai contar é coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho, a fama do próximo?


3ª PENEIRA = UTILIDADE
- O que vai dizer-me será UTIL?
Convém contar-me? Resolverá alguma coisa? Ajudará a comunidade? Poderá melhorar o planeta e, arremata Sócrates:


Se o que queres contar-me não é verdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.


Se pretende gerenciar pessoas, sejam de onde forem e aonde estiverem, utilize estas ferramentas. Tenho certeza que sua vida, seja profissional e/ou pessoal irá melhorar muito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário